Joana Darc (PR) diz que acolhimento da CPI dos Combustíveis é resposta ao anseio da população

A proposta da Comissão Parlamentar de Inquérito recebeu o número mínimo de assinaturas e será deliberada pela Mesa Diretora da ALE-AM
O acolhimento das oito assinaturas necessárias para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), dos combustíveis na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), foi celebrada pela deputada estadual Joana Darc (PR), na manhã desta terça-feira (26).

Com o objetivo de esclarecer os mecanismos de oscilação de preços nos postos de Manaus e interior, a CPI terá 120 dias regimentais para desenvolver os trabalhos de análises de documentos e oitivas de entidades ligadas aos empresários, Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON) e sociedade civil organizada.
“Estou muito feliz que tenhamos conseguido as assinaturas e realizada por fazer parte desse momento. Nós enquanto parlamentares, temos que utilizar com independência esse instrumento que nos é cabido”, ressaltou Joana.
A republicana parabenizou o propositor da matéria, deputado Álvaro Campelo (PP), pela iniciativa.
“O senhor está de parabéns por sua coragem e postura de encampar um tema de tão alta relevância. Assunto que está inserido em todos os âmbitos da vida da sociedade amazonense, visto sempre de maneira tão obscura”, destacou Joana.
A parlamentar também lembrou a postura independente do Poder Legislativo ao validar a CPI, mesmo a 19ª Legislatura sendo tão recente.
“Estive por dois anos na Câmara Municipal de Manaus e nunca vi uma proposta de CPI ir para frente. A Casa está dando a resposta que o povo merece”, pontuou Joana.
 
Regimento Interno
De acordo com o Art. 53, inciso IV, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Amazonas, a Comissão poderá efetuar buscas e apreensões, mediante despacho fundamentado. Decretar a quebra do sigilo bancário, fiscal e de registros telefônicos de indiciados e testemunhas envolvidas no processo de apuração, mediante decisão fundamentada.
Além de, peticionar ao Poder Judiciário a quebra do sigilo das comunicações telefônicas de indiciado ou testemunha e outras providências que sejam da estrita competência dos órgãos jurisdicionais.

Dep. Joana Darc

Advogada, Servidora Pública Concursada PGM e Deputada Estadual do Amazonas eleita com 26.816 votos

Deixe uma resposta