fbpx

Joana Darc acompanha caso de cadela assassinada a tiro na zona leste

A presidente da Comissão de Meio Ambiente Proteção dos Animais e Desenvolvimento Sustentável da Aleam assegura que o caso não ficará impune

O assassinato de uma cadela em um condomínio residencial, localizado na Zona Leste de Manaus, está sendo acompanhado pela Comissão de Meio Ambiente Proteção aos Animais e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa do Amazonas, presidida pela deputada Joana Darc (PR).

Cadela Morta a tiro de arma de pressão na zona leste de Manaus

De acordo com a parlamentar, sua equipe foi procurada pelas tutoras do animal, Ana Célia Radzinsky e Tamara Radzinsky, na manhã desta segunda-feira (11).

As mulheres denunciaram o seu vizinho, identificado como Sidonei Gonçalves, como sendo autor do disparo que vitimou cadela, batizada como Chocolate.

“É mais um caso que não deixaremos passar em branco. O que essa pessoa fez é um crime, um atentado contra a vida de um animal dócil e inocente. Estou dando todo o suporte possível, para que essa senhora consiga ver esse criminoso pagando por seu ato”, disparou Joana.

Entenda o caso

Segundo o depoimento de mãe e filha a polícia, por volta das 19h desse domingo (10), Chocolate estava com ela, em frente da residência de uma vizinha. Como era filhote e não apresentava perigo, ela estava passeando sem a coleira.

Sidonei estava lavando seu carro na rua, junto com suas filhas e as crianças teriam brincado com a cadela. O que teria irritado o homem, que primeiro jogou uma pedra contra Chocolate e depois efetuou o disparo.

A violência contra Chocolate aconteceu na frente das crianças, da sua proprietária e de outros moradores do condomínio.

“Ele agiu com extrema crueldade. No momento fiquei em choque, pensei até que o ferimento não tinha sido tão grave, mas ela saiu correndo, gritando de dor. Quando consegui pegar a Chocolate, ela já estava morrendo”, disse Tamara.

Questionado por populares, sobre o motivo de ter matado o animal, Sidonei teria dito que a cadela estava no seu terreno e que com uma arma de pressão, ele poderia sair caçando qualquer animal. Que Chocolate era apenas uma vira lata.

“Ela não estava no terreno dele. Estava na área pública do condomínio, as imagens das câmeras comprovam isso”, explicou Tamara.

Boletim de Ocorrência

Na noite do caso, um Boletim de Ocorrência foi feito junto ao 14◦ Distrito Integrado de Polícia (DIP). Conduzido por policiais até a delegacia Sidonei, declarou não estar mais de posse da arma utilizada contra Chocolate. Que a mesma teria sido jogada por sua esposa.

Apenas a capa usada para guardar o armamento foi apresentada ao titular da delegacia. Após prestar depoimento, Sidonei foi liberado.

Mas, na manhã desta terça-feira (11), o caso passou a ser acompanhado pela Delegacia de Meio Ambiente (DEMA), que dará continuidade nas investigações.

Laudo

O laudo assinado pela veterinária Gabriela Imakawa atesta que Chocolate, apresentava uma lesão cutânea sem perfuração muscular, no lado esquerdo do tórax.

A lesão segundo a veterinária, era arredondada e com bordas bem definidas.

Dep. Joana Darc

Advogada, Servidora Pública Concursada PGM e Deputada Estadual do Amazonas eleita com 26.816 votos

Este post tem 2 comentários

  1. Parabéns as tutoras deste animal que não deixaram “passar batido” o caso, infelizmente nossas leis não colaboram, votei na deputada Joana D’ Arc acreditando que ela possa ajudar em uma necessária e urgente mudança. Meus pêsames à família da cachorrinha. Lamentavel o ocorrido.

    1. Olá Felipe, agradeço pelo seu comentário. Tenha certeza que estou trabalhando constantemente em busca de mudanças em nossas leis e que esses crimes não fiquem impunes, e para este caso estou acompanhando de perto junto à DEMA que é a delegacia responsável pelas investigações.

Deixe uma resposta

×

Olá!

Escolha qual área deseja atendimento e fale agora mesmo conosco!

× Fale com a Deputada!